top

 

 

 

Consulte o Aurélio

 

Martha Argel  

 

 

 

Num ano qualquer da última década do século XX.

 

14 de abril, 14h30min

- E aí, o que é que você acha? Tudo em cima?

- Você tá ótima, Viviane. Essa minissaia ficou bárbara. Vai ser superfácil.

- Deus te ouça...

- Você já sabe, vai entrando como se fosse a dona do pedaço e pergunta direto pelo General.

- Pode deixar.

- Bate um papo, deixa ele ver suas pernas. No próximo trem da alegria você embarca, eu garanto. De primeira classe.

 

14 de abril, 15h12min

- Sargento!

- Senhor!

- Contrate aquelas pernas!

- Senhor?

- É... quer dizer... contrate aquela moça! Arranje um jeito e contrate aquela moça.

- Mas, general, desculpe interromper... ela mal sabe escrever...

- Cale a boca, Tenente.

- Sim, senhor, General.

- Prossiga, Sargento.

- Sim, senhor, General.

 

27 de abril, 17h45min

- Dona Viviane, a senhorita vem comigo ao Hospital de Base.

- Ué, seu General, agora chama hospital, é?

- Viviane, não me embarace! Nós vamos trabalhar!

- Ai, seu general, fala mais alto que senão não escuto. O senhor sabe que eu tenho um pobre... poble... probleminha no ouvido esquerdo.

- Dona Viviane, prepare-se para ir comigo ao hospital!!!

- Tá bom, tá bom, não precisa gritar, seu General. Só que o senhor sabe, eu largo às seis. Se passar, cobro hora extra.

 

27 de abril, cinco minutos depois da hora

- Ele está muito fraco. O senhor pode ficar só cinco minutos.

- Mas, enfermeira, só cinco minutos?

- Só cinco minutos, General.

- Mas cinco minutos é muito pouco.

- Pro senhor pode ser. Pra ele é até demais.

- Tudo bem, fazer o quê...

- Só mais uma coisinha, General.

- Diz.

- Sua secretária...

- Minha secretária o quê, enfermeira?

- Ela tem que pôr este avental aqui. O paciente é cardíaco. Com essas pernas aí de fora, não sei não, não garanto nada.

- Tudo bem, enfermeira.

 

27 de abril, 18h08min

- ... e o organismo tinha apêndices locomotores...

- Ai, moço, peraí que eu não tô acompanhando... lo-co-mo-to-res. Tá, continua.

- Ahh, dói tudo. Ahhh...

- Não, Viviane, isso não precisa anotar.

- ... apêndices locomotores, um par. Era bípede, como nós. Tinha ampla cavidade bucal e... ahhh, dói de novo... e um único órgão receptor de luz, semelhante aos nossos, mas de dimensões muito maiores. Media aproximadamente... ahhh... 120 cm de altura. Heterótrofo, sem...

- Hetero quê???

- Não interrompa, Viviane. Pode continuar, Antônio Paulo, vamos.

-... sem clorofila. Tinha pilosidade... no seu ponto... m-mais alto. P-pêlos... ahhh, como dói!... Ahhh... conspícuos... no a-alto da cabeça... Isso... ahhh... pêlos conspícuos... ah-ahhh... ahhhhhhhh...

 

28 de abril, 09h36min

- Ih, General, vazou pra imprensa.

- O quê???

- Vazou, General.

- Tudo?

- Que que o senhor acha dessa chamada de primeira página do ‘‘Jornal Diário’‘? ‘‘Objeto voador não identificado pousa no Plano Piloto’‘. Esse é o título. Aí continua: ‘‘Brasília, da reportagem local. Um estranho objeto prateado, com cerca de 50 metros de comprimento, pousou ontem em pleno Parque da Cidade, causando pânico e correria entre as dezenas de crianças, mães e domésticas que aproveitavam a tarde de sol. O zoólogo Antônio Paulo Rodrigo de Freitas, 27, conseguiu aproximar-se do aparelho e, segundo testemunhas, conversou com os extraterrestres por uma escotilha da nave por cerca de quinze minutos. Ao sair apressadamente em direção à Universidade, o zoólogo sofreu uma colisão frontal com um ônibus urbano, dirigido por José Aparecido de Oliveira, 53, e foi internado em estado grave no Hospital de Base de Brasília, onde veio a falecer, às 18h08min, vítima dos ferimentos sofridos. Antes de morrer, Antônio Paulo recuperou a consciência e revelou ao General Castro Pinto, do Ministério da Aeronáutica, detalhes sobre as criaturas que observou, dando destaque aos órgãos que chamou de conspícuos, que as criaturas teriam no alto da cabeça. Páginas 9 a 14.’‘

- Não olha para mim assim, General, que não fui eu.

- Viviane. VIVIANEEE!!!

 

28 de abril, 10h06min

- Sim, Presidente. O General responsável era ligado ao meu Ministério, mas já foi exonerado e responderá a inquérito.

- ...

- Sim, senhor, tenho consciência da catástrofe que esse vazamento pode significar.

- ...

- Não, senhor, não acho prudente desmentir publicamente a existência dos conspícuos. Com seu perdão, o povo sempre diz que tudo o que o governo desmente é verdade e tudo o que ele garante é mentira. Se o senhor afirmasse com convicção que os conspícuos estão entre nós...

- ...

- Tem razão, senhor, foi uma sugestão infeliz.

- ...

- Não, Presidente, marcianos eu acho que eles não são.

 

28 de abril, último bloco do telejornal da uma da tarde

- Bom, Viviane, é verdade que você conversou com a testemunha no hospital?

- É, conversar, conversar, eu não conversei. Ele ia falando, eu anotava. Ele ali deitado, cheio de tubos, coitadinho, tão simpático...

- E ele falou nos conspícuos?

- Ah, falou.

- E você poderia repetir para nossos telespectadores do Brasil inteiro o quê exatamente ele disse?

- Claro, eu nunca vou me esquecer das palavras dele. Ele disse: ‘‘Eles tinham eletricidade que saía pelo alto, pelos conspícuos no alto da cabeça’‘.

- Como você interpreta as palavras da testemunha?

- Hein?

- Que que você acha que ele quis dizer?

- Ah, tá. Olha, eu não sei, sabe que eu não entendo muito dessas coisas, mas eu acho que ele quis dizer que os conspícuos soltam raios pelo alto da cabeça.

- Dava essa impressão, pelo jeito que ele falou?

- Ah, dava.

 

29 de abril, manchetes de jornal

Marcianos utilizam conspícuos como arma

Conspícuos são ameaça

A eletricidade é a arma dos conspícuos

 

30 de abril, hora do recreio

- Drigo, vamos brincar?

- Vamos. Eu sou o conspícuo, você é o astronauta.

- Não, eu que vou ser o conspícuo!

- Não, eu que dei a idéia!

- Bobo!

- Tonto!

- Babacão!

- Rodrigo e Gustavo, brigando de novo por causa dos conspícuos?!

 

1º de maio, 10h30min

- Eneida, vamos sair, aproveitar o feriado...

- Boa idéia, benhê.

- Vamos dar uma voltinha no parque, tomar um sol, um ar...

- O quê? Você tá é maluco!

- Ué, qual o problema?

- Você não sabe que o parque tá contaminado? Que nem Goiânia, Chernobyl... Pior, até. Dizem que, de noite, o lugar onde o disco dos conspícuos pousou solta uma luz azul. Deve ser césio.

- Mas no jornal não diz nada, Nê.

- Lógico, o Exército deve ter censurado. Evitar o pânico.

- E como você soube?

- Ah, o noivo da Lucinha, sabe, a que vai casar em junho, ele trabalha na Infraero.

- Mas o que tem a ver a Infraero com a estória?

- Ah, sei lá, mas foi a Lucinha quem me contou.

 

02 de maio de 1989, manchetes de jornal

Boatos de conspícuos estragam comemorações em todo o país

Conspícuos causam pânico em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e João Pessoa durante festividades do dia do trabalho

 

03 de maio, 21h00min

- Tchau, mãe. Tchau, pai.

- Chico, não gosto dessa coisa da Regininha sair toda noite com o Paulinho e só voltar às cinco da manhã.

- Ô Flor, que que é isso? Tô te estranhando, até parece que você não lembra da gente na idade dela... A gente saía, só voltava às cinco da manhã três dias depois... Bons tempos, aqueles. Tenho certeza de que ela já sabe se cuidar muito bem.

- Chico, como você é burro! Não é disso que eu estou falando! Sabe o que é que os dois fazem a noite toda? Ficam esperando o disco dos conspícuos pousar de novo, no Parque da Cidade!

- Regininha, volta aqui!

- Ela já foi, Chico.

 

04 de maio, depois do almoço

- Aí, meu irmão, como é que tá? E o mergulho, altas fotos?

- Nada, cara, tô sem roupa de neoprene. Nesse frio, sem roupa não dá.

- Ih, cara, compra uma. Tu tá com os dólares...

- A roupa tá em falta, cara. E inflacionada. Sumiu do mercado desde essa história dos conspícuos, que soltam eletricidade, sei lá o quê mais. O vendedor disse que as pessoas estão comprando roupa de borracha pra se protegerem dos choques em caso de invasão, pode?

 

5 de maio, 23h56min

- Paulinho, olha aquela luz lá.

- Avião.

- Ah.

- Esse barulho, Rê...

- Caminhão.

 

7 de maio, 03h14min

- Tô com sono.

- Encosta aqui e dorme. Qualquer coisa te acordo.

 

8 de maio, 02h30min

- Paulinho, acorda, escutei algo.

- Hein? Tem algo lá fora?

- Não sei, vou sair pra ver. Já volto.

- Cuidado, hein, Rê?

Silêncio. O tempo passa.

- Regina?

...

- Rê?

- Aqui! Não vi nad... Ahhhhhhhhh!

- Regina!

 

8 de maio, 07h22min, Hospital de Base

- Tá acordando!

- Regina, tudo bem?

- Ãhn... cadê o Paulinho?

- Aqui. Tá tudo bem? Que que aconteceu?

- Eu vi! Eu vi! Um conspícuo! Eu virei, ele tava parado atrás de mim, quieto, sem mexer, a dois metros de mim. Foi um choque tremendo!

- Minha filhaaa...

- Acode a dona Flor, ela desmaiou!

 

09 de maio, manchete de jornal

Conspícuo faz mal a moça em parque

 

10 de maio, entre uma novela e uma minissérie

- Aqui, Onofre, viu? Te falei que era verdade. Esses monstros são perigosos. O pessoal chama de conspícuos mas são marcianos mesmo. Os jornais só falam naquela menina lá de Brasília que foi atacada com um raio, acho que é laser. Você leu ontem com seus próprios olhos: ela declarou que eles atacaram pelas costas. Depois vai dizer que eu não disse. Isso é coisa dos comunistas. Trouxeram os marcianos pra tumultuar, logo invadem tudo, tomam conta do país e os comunistas ficam por cima. Você vai ver. Logo, logo, vão pôr um monte de conspícuos morando na nossa casa e a gente vai ter que se mudar pro quarto de empregada.

- Que bobagem, Cidinha. Você não acha que os comunistas já não estão satisfeitos com a bagunça que aprontaram na economia infiltrando agentes disfarçados de ministros? Não iam se preocupar com essa porcaria de conspícuos. Isso aí é histeria coletiva.

 

11 de maio, 17h02min

- Mas, Lica, mudando de assunto, tô preocupada com o Huguinho e essa história de amiguinho imaginário.

- Que é isso, Suzete, bobagem sua, a psicóloga já não falou que isso é normal na idade dele?

- Eu sei, mas está cada vez pior. Todo dia ele chega do parquinho dizendo que conversou com o amiguinho... Que o Wagner… engraçado, antes se chamava Pedrinho… bom, que o Wagner quer vir em casa almoçar. Que é pra fazer panqueca, que o Wagner quer experimentar...

- Manhêêê!!!

- Deixa eu desligar, Lica, que ele chegou. Agora vou ter uma conversa séria com esse menino.

- Vai com calma, Suzete. Isso é coisa de criança.

- Deixa comigo, Lica. Tchau.

- Tchau.

- Manhê, o Wagner veio visitar a gente... Faz panquecas pra ele?

- Aaaaaaaaaahhhhhhhhhh....

- Mãe?

 

12 de maio, hora da Ave Maria

- Irmãos, estamos aqui reunidos, no meio do cerrado, para mais uma celebração do encontro da Igreja Campal do Senhor com o Corpo de Cristo. A natureza, irmãos, é o elo que nos une com...

- Dona Edinalva, a senhora sabe que eu não gosto de vir aqui pro meio do mato quando tá escurecendo. Tem assombração...

- Quieto, Tunico, enteado é pra essas coisas. Tem que acompanhar a mãe de criação quando ela precisa. E depois, aqui não tem assombração nenhuma. O Senhor olha pela gente.

- Então que que é aquilo ali?

- Onde... Cre-e-edo em Cruz!!! Aaahhh!

- Conspícuo! Conspícuo!

- Irmãos, que acontece?

- Ahhhh!

- Irmãos, nada de pânico!

- Enviado do Demo!

- Obra do Cão!

- Vade retro!

- Vamos todos morrer! Vamos todos morrer!

 

13 de maio, manchetes de jornal

Aparição conspícua assusta fiéis

Conspícuo ateu interrompe culto religioso

 

14 de maio, manchetes de jornal

Conspícuo impede ato público da comunidade negra em Salvador

Sábado negro em Salvador - Ataque conspícuo deixa 14 feridos

Serão os conspícuos racistas?

 

15 de maio, extraordinariamente às 07h10min

- Senhores ministros, a situação é grave e precisamos fazer algo urgentemente.

- Sim.

- Certo.

- Apoiado.

- Trarei os censores de volta à ativa através de uma medida provisória. Não quero mais uma linha sequer sobre os conspícuos no jornal. Fica proibida qualquer menção a eles no rádio, na TV e no cinema. Apreendam todas as fitas de vídeo que falem de invasões de marcianos. Ah, e eu quero rever aquele filme, como é mesmo o nome...

- ‘‘O dia em que a Terra parou’‘?

- Isso. Talvez nos dê uma pista de como agir.

- Muito bem, Presidente.

- Agora meu porta voz vai ler a lista dos filmes que a partir de agora serão considerados subversivos.

- ‘‘Alien, o oitavo passageiro’‘, ‘‘Cocoon’‘, ‘‘E.T., o extraterrestre’‘, ‘‘A guerra dos mundos’‘, ‘‘Howard, o super herói’‘, ‘‘O ataque dos tomates assassinos’‘, ‘‘O planeta dos macacos’‘...

 

16 de maio, manchetes de jornal

Botafogo 3 x 0 Flamengo

Botafogo mete 3 no Flamengo e incendeia a torcida

o dia em que o Flamengo parou

 

16 de maio, atrasado para o serviço, mas só um pouquinho

- Mami, cadê o jornal de hoje?

- O Júnior tá lendo.

- Júnior, dá o jornal aqui pro papi que o papi quer dar uma olhadinha antes de ir trabalhar.

- Tó, papi.

- Júnior, você andou recortando as notícias dos conspícuos de novo? O papi pediu pra você não fazer isso.

- Ô, papi, juro que não. Hoje não teve notícias dos conspícuos.

- Como não?

- Não, ué.

- Meu Deus do céu! Aconteceu algo! Mami!

- Que foi, Papi?

- Algo de errado está acontecendo. Acho que os conspícuos estão tentando tomar o poder. Estão controlando os meios de comunicação. Prepara as malas. Vou comprar comida. Quero ficar preparado para fugirmos da cidade se for necessário. Júnior, rápido, ajuda a mami!

 

17 de maio, no quinto cafezinho da tarde

- Os conspícuos estão por todo canto. Só nas duas últimas horas dezenove pessoas ligaram pra cá dizendo que tinham avistado extraterrestres.

- É o nome, já falei. Eles devem ser mesmo conspícuos. Puxa, por que é que só eu é que não consigo encontrar tão conspícuas criaturas?

- Não agüento essa de não poder publicar. E o pior é que a imaginação do povo corre solta. Esses casos de pânico, feridos, correrias, por exemplo. Se a gente analisar bem, é tudo histeria.

- É, também estive reparando. Olhei de novo todos os relatos de aparições e sabe que em nenhum caso se provou que os conspícuos foram agressivos? Apareceram, conversaram com as pessoas, parece que até visitaram um menino. Para experimentar panquecas, você acredita?

- Adoro panquecas!

- Seu Cássio, dá licença...

- Fala, Romualdo.

- Tem um conspícuo lá na portaria...

- O QUÊ?!?

- Ele pediu pra conhecer a editoria de culinária.

- Culinária o caramba, Romualdo. Traz ele pra cá, rápido! Cara, isso a gente vai publicar, com censura ou sem censura!!!

- Demais. Vou ver meu primeiro conspícuo.

 

18 de maio, manchete do ‘‘Jornal Diário’‘

Conspícuos estabelecem contato com Jornal Diário

 

18 de maio, ao longo do dia

- Mami, rápido, corre aqui!

- Credo, que foi, Papi? Que que aconteceu?

- Olha só isso: ‘‘Conspícuos estabelecem contrato com Jornal Diário’‘. É pior do que eu pensava. Ao invés de invadir eles estão comprando os meios de comunicação.

 

- Presidente, acho que os conspícuos forçaram o jornal a publicar essa matéria. Receio que eles já controlem os meios de comunicação.

 

- Irmãos, o Demônio é forte, mas Ele é mais poderoso. Tenhamos fé e oremos.

 

- Rubens, precisamos tirar o Huguinho de perto desse Wagner. Imagina que esse marciano agora quer dormir no quarto do nosso filho! Não agüento mais fazer panquecas três vezes por dia. E eu não posso mais nem ralhar com o menino que o monstro aperta o olho e começa a resmungar. Algum dia ele ainda me eletrocuta. E o menino está impossível, não me obedece mais. Rubens, larga o jornal e me escuta!

- Tô ouvindo, Suzete.

- Rubens, e se eles quiserem levar o Huguinho embora?

- Não se preocupe, bem. Se levarem, trazem de volta rapidinho, garanto que nem eles agüentam.

- Rubens!

 

- Não falei, Onofre? Agora os comunistas controlam a imprensa. Você não escutou, eu falei que era obra deles, agora é tarde...

- Você tinha razão, Cidinha, mas não adianta ficar chorando sobre leite derramado. Fique calma, vou falar com alguns amigos meus da reserva. Vamos organizar a resistência!

 

- Paulinho, ninguém me escuta. Foi modo de dizer. Ninguém entende que quando eu falei que foi um tremendo choque ver o conspícuo, era só força de expressão. Ele até que era simpático, só me deu um baita susto ficando ali parado...

- Eu sei, Regininha. Mas estão todos tão agitados que ninguém quer escutar nada.

- Escuta, a Bia montou um Comitê Pró-Conspícuos, para divulgar a verdade sobre eles. Vamos lá, quem sabe eles me ouvem.

- Que legal, eles têm contato com algum conspícuo que passa informações para eles?

- Não. Antes eles defendiam as baleias, mas agora tem tanta gente fazendo isso que eles resolveram mudar de assunto.

 

- E aí, meu irmão? Já transou uma roupa aí?

- Nada, cara, não tô achando em lugar nenhum. Dizem que com essa invasão de conspícuos as roupas de neoprene foram proibidas porque eles não querem que os terrestres tenham como se proteger deles.

- Ih, cara, quem te falou isso?

- O vendedor, cara. Diz que por isso está em falta. Ele vai conseguir uma pra mim, mas vai sair muito caro, porque agora é contravenção, pode?

 

- Chico, tô preocupada com a Regininha.

- Epa, você acha que vou ser vovô?

- Nada disso, palerma.

- Então o quê?

- Acho que os conspícuos estão fazendo lavagem cerebral nela.

- Hã?

- Pois é, ela anda com a história de que os conspícuos são nossos amigos, não planejam invadir nada, que é tudo invenção da imprensa.

- Minha nossa!!!

- Desde que tomou aquele choque, ela nunca mais foi a mesma.

- Mas, Flor...

- Diga, Chico.

- Até que ela pode ter alguma razão.

- Você também, é?

- Olha só. Se eles vão invadir o país, quer dizer que vão tomar o poder.

- Isso.

- Se tomam o poder, vão controlar a economia.

- Hum... é...

- Então. Se conseguem controlar a economia, descontrolada do jeito que anda, só podem ser nossos amigos, não é não?

 

- Benhê, sabe que a Flor me contou que os conspícuos vão assumir o governo e tomar conta da economia?

- Puxa, que notícia boa, Eneida!!! Eu sempre disse que tinha que ser um economista do outro mundo para conseguir dar um jeito nesse país! Mas... e o césio?

- Quem?

 

- Drigo, comprei o álbum de figurinhas dos Conspícuos.

- Bela droga, eu já tenho...

- Bobo!

- Tonto!

- Babacão!

- Rodrigo e Gustavo, brigando de novo por causa dos conspícuos?!

 

- Quem tá mudando?

- A Viviane, vai prum casarão no Lago Sul.

- Como? Ela não tinha dinheiro nem pra ir ao cinema...

- Pois é, vendeu os direitos autorais da estória dos conspícuos pra uma revista, pra TV e pra uma produtora de filmes. Posou nua pra Playboy, sai mês que vem. Foi convidada pra participar de uma novela filmada na Ilha de Marajó... Agora é importante.

- Esses conspícuos são bons mesmo. Tudo que eles tocam vira ouro.

- É, vou votar neles pra presidente.

- Ih, nem precisa. Andam dizendo que o presidente despediu todo o ministério, pôs conspícuos no lugar deles, mandou fazerem o que quisessem e viajou pro Mundial do Japão com a seleção brasileira de caratê.

 

19 de maio, na hora em que ministro chega ao gabinete

- Dona Amélia, por que as minhas coisas estão todas no corredor?

- Pra dar lugar prás do novo ministro, ué. Pergunta boba.

- Hein, novo ministro? Mas o presidente me garantiu que meu cargo era imexível!

- Ih, meu filho, não era mesmo. É melhor você ir andando que daqui a pouco chega o conspícuo que vai te substituir.

- Cospico? E ninguém me avisou nada?

- Cons-pí-cuo. E não foi sempre assim? O que é que você está estranhando?

 

20 de maio, Jornal Nacional

- ‘‘... e desta forma foi declarada a República Federativa Conspícua do Brasil, apesar da ausência de autoridades conspícuas. O representante enviado pelo presidente, que se encontra em turnê pelo Japão, declarou que...’‘

 

20 de maio, 23h32min, horário de Greenwich

No interior da nave shtogaliana (popularmente conhecida como ‘‘conspícua’‘), que orbita em torno da Terra, os três integrantes da missão diplomática enviada a este sistema solar tentam explicar, via hiperespaço, como, junto com a receita de panquecas que vieram buscar, ganharam o controle da economia mais complicada do planeta.

 

 

São Paulo, 1988-1990

 

   

alto da página

Meus contos   Contos Improváveis