*

Citação bibliográfica

 

Argel, M., 2001. Maria-é-dia (Elaenia flavogaster). In: www.marthaargel.com.br. Acessado em [data do seu acesso].

 

--- Lembre-se sempre de citar a fonte de informações obtidas na Internet --- 

--- Seja ético e respeite os autores ---

 

 

 

 

Maria-é-dia (Elaenia flavogaster)

Ordem Passeriformes

Família Tyrannidae

 

A maria-é-dia não chama a atenção das pessoas, por ter cor discreta e canto pouco melodioso. Embora existam várias outras espécies muito parecidas com ela, pode ser reconhecida pela cristinha despenteada, sempre erguida, e pelo canto alegre e barulhento, que embora bastante característico, é difícil descrever com palavras. É vista sozinha ou em casais, sempre agitada, entre a copa das árvores, em especial as que têm frutos.

Seu ninho é muito bem feitinho, uma tigela funda de fibras vegetais e raízes finas, presa com firmeza sobre um galho horizontal e revestida por fora com uma camuflagem perfeita de liquens e cascas de árvores. Põe dois ou três ovos.

Come principalmente frutinhos (amora, erva-de-passarinho, magnólia-amarela, figos-benjamim), mas também insetos (formigas, besouros, cigarrinhas, cupins voadores).

Ocorre em áreas verdes e em bairros com arborização abundante.

Mais informações:

 

Elaenia flavogaster como dispersor de plantas de áreas perturbadas

 

 

 

Martha Argel

2001

 

 

alto da página

 

Aves de São Paulo