*

Citação bibliográfica

 

Argel-de-Oliveira, M. M., 1987. Mimus saturninus (Lichtenstein, 1893) (Aves, Mimidae) como dispersor de sementes, no Estado de São Paulo. p. 247. In: Congresso Brasileiro de Zoologia, 14, Juiz de Fora, 1987. Resumos. Juiz de Fora.

 

 

 

 

 Mimus saturninus (Lichtenstein, 1893) (Aves, Mimidae)

como dispersor de sementes, no Estado de São Paulo

 

M. M. Argel-de-Oliveira

 

Departamento de Zoologia, Universidade Estadual de Campinas

  

O sabiá-do-campo, Mimus saturninus, ocorre em áreas de vegetação aberta, sendo comum inclusive em locais alterados pelo homem, e sua dieta compõem-se (sic) basicamente de insetos e frutos. A maioria dos frutos de que se alimenta são silvestres, de pequeno tamanho, e em geral as sementes são ingeridas. Sementes grandes, como as de Melia azedarach (1,5 a 2,0 cm de comprimento) são regurgitadas, e as menores são eliminadas com as fezes. A análise das fezes de M. saturninus, coletadas no Município de São Manoel, entre abril de 1984 e agosto de 1985, revelou a presença das sementes de 20 plantas: Erythroxylum sp, Ficus sp, Lantana cf lilacina, Lithraea molleoides, Miconia sp, Myrtaceae não identificada, Pera glabrata, Peschiera australis, Schinus terebinthifolius, Smilax sp, Solanum americanum, Solanum sp e outras sete espécies não identificadas. Foi obtida a germinação de 10 dessas espécies: Ficus, Lantana, L. molleoides, Miconia, P. australis, Smilax, S. americanum e das desconhecidas C, D e I.

A espécie deve ser considerada como uma dispersora potencial de sementes, podendo desempenhar um papel importante na colonização, por plantas invasoras, de novas áreas. Eventualmente isto poderia refletir-se no aceleramento do processo de sucessão da vegetação nessas áreas.

 

alto da página

Frugivoria           Resumos em congressos     Sabiá-do-campo