*

Citação bibliográfica

 

Argel-de-Oliveira, M. M., 1991. O comportamento de lampejo-de-asas em Mimus saturninus (Lichtenstein, 1823) (Passeriformes, Mimidae). p. 20-21. In: Congresso Brasileiro de Ornitologia, 1, Belém, 1991. Resumos. Belém.

 

 

 

 

O comportamento de lampejo-de-asas

 em Mimus saturninus (Lichtenstein, 1823) (Passeriformes, Mimidae)

 

M. M. Argel-de-Oliveira

  

O comportamento de lampejo de asas (''wing-flashing''), típico da família Mimidae, segundo alguns autores tem função relacionada à captura de presas animais, mas foi observado em algumas situações sem vínculo com a alimentação. Um estudo do lampejo de asas em M. saturninus foi feito em São Manuel, SP (22°50'S e 48°40'W), de abril de 1984 a agosto de 1985. As aves do bando R-1 foram observadas durante todo o período diurno, anotando-se em que circunstâncias exibiam o comportamento. Além disso, para o estudo da possível relação lampejo/captura de presas, foi feita a análise dos dados coletados de uma forma padronizada: estando o bando no terreno, um indivíduo escolhido ao acaso era observado por cerca de 2 minutos ou até desaparecer de vista ou voar. Os comportamentos eram anotados, em seqüências que posteriormente foram transcritas para matrizes de interação. O lampejo de asas é mais freqüente durante a procura de presas no solo mas ocorre também durante a captura de presas em plantas, captura de insetos voadores e alimentação em frutos. Pode ocorrer quando a ave chega ou parte do ninho, pousa em poleiros elevados ou se depara com seres humanos a pequena distância. No caso específico da captura de animais no terreno, a captura logo após o lampejo é infreqüente, pois à maioria dos lampejos seguem-se o deslocamento ou a imobilidade. Já a análise das capturas executadas mostra que a maioria delas ocorre logo após deslocamentos, imobilidade ou outras capturas, e não após lampejos. Constata-se que em M. saturninus o lampejo não está diretamente ligado à localização ou captura de presas, o que se evidencia pelo inexpressivo número de vezes em que as capturas se seguiram, imediatamente ou não, ao comportamento. A espécie difere de M. polyglottos, em que há correlação entre execução de lampejo e captura de presas (Hailman, 1960). Em M. saturninus, o lampejo de asas talvez seja  uma forma da ave canalizar suas energias em situações onde há conflito entre o impulso de se afastar voando e o de continuar no local. A alta freqüência durante a alimentação no solo adviria da vulnerabilidade da ave, nessa situação, ao ataque de predadores, já que na maior parte do tempo sua atenção deve voltar-se para a localização e captura de presas, em prejuízo da vigilância.

 

alto da página

Resumos em congressos     Sabiá-do-campo